O armário da mãe da menina de apenas três de idade não era um portal para Nárnia, mas continha um mundo maravilhoso de sapatos. As prateleiras eram recheadas de variedades de calçados e a pequenina Amanda se interessava por aqueles mais altos. Ela amava brincar de boneca, mas a hora mais divertida era quando pegava os sapatos da mãe e saia desfilando pela casa toda! Era “toc toc” pra cá. “Toc toc” pra lá.

Quando recebia visitas, esperava cada uma delas se sentar no sofá. No momento em que as mulheres cruzaram as pernas e as sandálias ficavam a mostra era o momento de Amanda “atacar”. Ela fazia todas tirarem os sapatos para que pudesse experimentar e ver como ficavam nela.

– Amanda, você está fazendo aquilo de novo? perguntava a mãe de forma brava!

Mas ninguém ligava. Até riam da atitude da menina:

-Imagina! Deixa ela… Está uma graça com essas sandálias maiores que os pés.

A paixão de criança fez com que ela tentasse mais tarde a carreira de modelo e nos cursos de passarela aprendeu, de verdade, a andar de salto alto. Andava de um jeito tão elegante que até mesmo as princesas da Disney morreriam de inveja!

Depois de grande, o salto continuou sendo sua melhor companhia e a intimidade passou a ser tão grande que quando resolve compartilhar os momentos com a outra amiga, a sapatilha, tropeça e cai, algo que nunca fez com o salto!

Ultimamente, os dois dividem uma dupla jornada: de dia vão ao trabalho e a noite, principalmente aos finais de semana, se vestem de Cinderela para divertir e entreter milhares de crianças em suas festas de aniversário. Juntos conseguem levar à todas elas o principal objetivo da magia: tornar incrível o que os adultos banalizaram depois que o sino toca e informa que é meia-noite. Por isso, Amanda nunca desce do salto. Ela sempre será uma eterna criança.

-“Toc toc”…
– A Amanda e seu salto vem aí…

Foto: Kaline Barros
Foto: Kaline Barros